FES | Federación Española de Sociología

XII Congreso de la FES

A VIOLÊNCIA DE GÊNERO DECORRENTE DO ASSÉDIO VERBAL CONTRA AS MULHERES NO ESPAÇO PÚBLICO

GT 12 Sociología del Género

Autor/a
Juliana Lima Castro (Universidade Federal de Pelotas)

Programa:

Sesión de comunicaciones orales Franja 3 : TEORÍA SOCIOLÓGICA FEMINISTA, TRANSFORMACIONES SOCIALES, VIOLENCIA CONTRA LAS MUJERES Y CONDICIÓN DE GÉNERO
Responsable(s): Rita Radl Philipp (Universidad de Santiago de Compostela)
Tipo de sesión: Sesión de comunicaciones orales
Día: viernes, 1 de julio de 2016
Hora: 09:00 a 10:45
Lugar: 006

O escopo do presente trabalho constitui analisar a violência simbólica decorrente do assédio verbal sofrido pelas mulheres no espaço público, mais especificamente as populares “cantadas de rua”, e se referida situação é identificada pelo gênero feminino como uma forma de violência. Desse modo, primeiramente, oportuno elucidar brevemente o conceito de gênero, expressão que surgiu a fim de se opor ao determinismo biológico atribuído ao conceito de sexo, e que situa o tema no âmbito das relações sociais entre os sexos, pois engloba os aspectos culturais entre eles. Logo, importante vislumbrar o que vem a ser essa violência simbólica, que é uma violência suave, insensível, invisível as suas próprias vítimas, que se exerce essencialmente pelas vias puramente simbólicas da comunicação e do conhecimento, ou, mais precisamente, do desconhecimento, do reconhecimento ou, em última instância, do sentimento (Bourdieu, 1999). Essencial ainda, referir que assédio constitui comportamento indesejado combinado com o fator discriminação, pois este conceito será utilizado conjuntamente com a violência simbólica, por entendermos no caso do estudo em tela, ser ele o fator que desencadeará a referida violência contra a mulher. Como hipótese provisória temos que as mulheres sentem-se ameaçadas e violentadas verbalmente e desse modo tendem a participar menos de algumas searas sociais, pois têm sua liberdade cerceada e seu direito fundamental de ir e vir lesado. Os objetivos específicos do trabalho consistem em analisar se, diante da situação mencionada alhures, elas se sentem oprimidas e fragilizadas a ponto de alterar o modo como se comportam, ou seja, se acabam deixando de praticar determinados atos ou participar de determinados ambientes, em vista de sentir sua liberdade limitada; e ainda, se entendem essa situação de vulnerabilidade, num contexto de violência, como decorrência das desigualdades de gênero e dominação do grupo masculino sobre o feminino. Para viabilizar a pesquisa, realizaremos em um primeiro momento, uma revisão bibliográfica de literatura, acerca do tema, englobando conceitos e todos os referenciais que se fizerem necessários como aporte teórico, para discutir assuntos centrais e fundamentais do estudo pretendido. Em seguida, diante do tema proposto e tendo em vista tratar de um recorte de dissertação de mestrado em andamento, utilizaremos o método quantitativo-qualitativo, pois, considerando que o objetivo constitui problematizar o aspecto da violência simbólica sofrida pelas mulheres nos espaços públicos, entendemos que a entrevista e o questionário são os instrumentos para coletas de dados, que nos possibilitarão a aproximação dos atores sociais em questão.

Palabras clave: violência, gênero, mulheres, assédio verbal, espaço público